Telefones: (19) 3402-8266 / (19) 3435-5646
 
           Teste Cilindros Hidráulicos
 

A maneira tradicional de testar as vedações do pistão de um cilindro de dupla ação é o acionamento da batida do cilindro de dentro para fora um par de vezes, em seguida, parar em uma das extremidades e pressurizar o cilindro por um período de tempo para verificar se há vazamentos. Isso é chamado de teste manual "fim-de-curso".

 

O problema com os testes de desvio "de fim de curso " é que como diz o termo, somente estão sendo testadas as vedações quando elas estão em cada extremidade do corpo do cilindro, onde ocorre menos quantidade de desgaste. O ensaio deve ser feito no centro da camisa onde ocorre a maior deterioração causado por abaulamento.

 

A Figura 1 abaixo mostra uma visão exagerada de um cilindro embaulado. A camisa literalmente se enche como um balão. Quando o embolo está em ambas as extremidades as vedações são eficazes e um teste de desvio nesta posição irá proporcionar resultados aceitáveis​​. No entanto, como pode ser visto no ponto médio, os resultados do teste não serão tão desejáveis. Uma pequena diferença de  0,25 mm no diâmetro da camisa  será o suficiente para causar vazamento nas vedações.

                                                                  
                                                                                      Fig. 1 - Cilindro Embaolado

A melhor maneira de testar as vedações do pistão de um cilindro de dupla ação é a realização de um teste de bypass 'mid-tempos'. O principal problema com este tipo de ensaio é como controlar o cilindro. É necessário conter o cilindro para prender mecanicamente o êmbolo na posição central. Como até mesmo um pequeno cilindro pode desenvolver 6-10 toneladas de força isso se torna um exercício muito perigoso, e com um grande cilindro torna-se impraticável.

 

O que precisamos é um teste que mantém o pistão, em qualquer posição que escolhemos, hidraulicamente. Isso é chamado de teste hidrostático e o circuito da figura 2 mostra como é feito. Este utiliza o efeito de intensificação da pressão para manter o êmbolo em qualquer ponto ao longo do tubo para testar a integridade de vedações.

 

A um perigo com este tipo de ensaio é que, se a pressão é dirigida para a extremidade do êmbolo do cilindro, com a válvula (1), fechado, em seguida, a pressão desenvolvida na extremidade da haste do cilindro irá ser muito maior do que o ponto de catastrófica falha.

 

Para impedir que isto aconteça, é importante o uso de uma válvula de alívio de pressão (5) no circuito a extremidade da haste. Este pode ser definido como a capacidade de pressão do cilindro de modo que os ensaios podem ser realizados com segurança. O procedimento de teste completo está detalhado abaixo.

                                          
                                                                             Fig. 2 - Circuito Hidrostático do Teste




Fonte: Central Queensland Hydraulics
 
Copyright ©  2017 HIDRAUCAF
Perfil Studio